Official website of the New England Patriots

replay
Patriots Replay Tue May 26 | 02:00 PM - 11:59 PM

O que está em jogo no Patriots vs. Bears

Durante esta fase da temporada, que para o New England Patriots inicialmente incluiu treinos em que participaram apenas os jogadores da equipa, e depois passou para treinos em conjunto com o New Orleand Saints e o Chicago Bears, a missão principal é preparar e depois avaliar jogadores, decidir quem tem qualidade para ajudar a equipa na desejada conquista de mais um título e quem vai ficar pelo caminho.

Por isso, o jogo de preparação de logo à noite vai ter muitos aspetos de grande interesse para os fãs, que passaram os últimos dias a tentar determinar quem se tem destacado mais. Para o treinador Bill Belichick e a sua equipa técnica é mais uma oportunidade para ver quais os jogadores que estão a assimilar as suas ideias.

"A última vez que jogamos contra eles (Bears) foi com um treinador diferente, um esquema diferente," explicou Bellichick durante uma das conferências de imprensa desta semana. "Foi bom começar a familiarizar-nos com eles. É algo que certamente nos vai ajudar a avaliar os nossos jogadores na quinta-feira à noite, para que quando jogarmos possamos ter uma pequena ideia do que se está a passar e espero que sejamos capazes de executar (o plano de jogo)."

A palavra chave aqui é 'avaliar', pelo que de seguida apresentamos alguns dos aspetos a considerar durante o jogo.

Com0 vai ser a rotatividade a *quarterback *

Esta é uma das questões que mais tem dado que falar durante o estágio (training camp). Sabendo-se que Tom Brady vai estar suspenso durante os primeiros quatro jogos, qual será a melhor forma de preparar Jimmy Garappolo? E como durante esses primeiros quatro jogos, Jacoby Brissett terá de estar apto caso Garoppolo saia lesionado, qual a forma de encontrar espaço neste estágio para preparar adequadamente todos eles?

ap_tom_brady.jpg

Muitos dos observadores pensam que Brady vai iniciar este jogo pois não faz grande sentido que ele jogue nos próximos dois encontros, já que aí estaria em campo com elementos da segunda ou da terceira linha.

"Estamos a tentar preparar todos," respondeu Belichick quando lhe perguntaram quem vai jogar esta noite. "O Jimmy é a prioridade, mas todos são importantes."

Jimmy Garoppolo teve uma noite de altos e baixos contra os Saints, começando mal e acabando bem, pelo que sabe que terá de ser mais produtivo no início do jogo, enquanto Jacoby Brissett vai tentar eliminar as jogadas negativas e mostrar algum progresso.

No jogo contra os Saints, nas primeiras duas séries Garoppolo teve dois 'three-and-out' (não conseguiu nenhum first down), pelo que terá de melhorar a sua capacidade para antecipar o pass rush e encontrar mais rapidamente o segundo ou terceiro receivers. Ou seja, demonstrar que vai conseguir lidar com a pressão de ser o titular nos primeiros quatro jogos.

"A forma como ele (Garappolo) se comporta no dia-a-dia," é o suficiente para Bellichick. "Há três anos que tenho estado com ele todos os dias, ele tem sido consistente."

Já Brissett, que na semana passada fez o seu primeiro jogo na NFL, jogou durante toda a segunda parte, completando 7 de 13 passes, num total de 63 jardas.

"Foi o que tu sonhas quando criança e acabou por ser tudo o que eu pensava que seria", disse Brissett. "Foi divertido estar lá, no huddle e em campo, a fazer o que adoro."

A confirmação de Tyler Gaffney 

O jovem Tyler Gaffney, que passou as suas duas primeiras temporadas da NFL no injured reserve, mostrou-se muito emocionado e grato pela oportunidade de poder tornar a jogar depois do bom desempenho frente aos Saints. 

ap_tyler_gaffney.jpg

Conseguiu um touchdown de 44 jardas de bola em corrida, a primeira vez que conseguiu chegar à end zone desde os tempos na Universidade de Stanford, e contribuiu ainda com três importantes bloqueamentos frente ao *blitz *adversário.

Entrou neste estágio com algumas possibilidades de poder ser o quarto running back, mas com a lesão de Dion Lewis, que continua na PUP, viu aumentar o número de participações nos exercícios e aproveitou a oportunidade.

Ao mesmo tempo, James White tem continuado com a irregularidade demonstrada no ano passado. Frente aos Saints mostrou grande capacidade de finta numa receção de 56 jardas, mas também foi apanhado quando estava na linha de 1 jarda, e não segurou um passe na end zone.

D.J. Foster e Donald Brown também estão envolvidos na luta por um lugar nesta posição, mas se Gaffney conseguir dar continuidade ao trabalho feito até agora, decerto vai conseguir um lugar no plantel.

Continuidade de jogadas decisivas 

No jogo frente aos Saints, a defesa dos Patriots impressionou e até ajudou o ataque ao marcar vários pontos. As jogadas decisivas, de impacto, surgiram com bastante frequência, dando a sugestão de que esta defesa poderá vir a ser das melhores da liga. Caso consiga repetir a exibição logo à noite, retirará pressão a Garappolo e ao ataque.

Como irá ser a actuação do front seven sem os lesionados Rob Ninkovich, Jabaal Sheard e Shea McClellin?

Durante os treinos, Dont'a Hightower e Jamie Collins foram fatores excessivamente perturbadores para o ataque dos Bears, por isso no jogo desta noite, sem algumas das restrições impostas nos treinos, poderão vir novamente a ser decisivos.

A luta por lugares a cornerback 

Os jovens Justin Coleman, Cyrus Jones, Cre'Von LeBlanc, Jonathan Jones e Darryl Roberts continuam a lutar pelas vagas na posição de corner back e todos eles tiveram os seus momentos de destaque no jogo frente a New Orleans. V'Angelo Bentley e E.J. Biggers também têm tido fases boas.

Tudo indica que Malcolm Butler e Logan Ryan têm lugar certo no plantel, pelo que este jogo, frente a uma equipa com receivers da qualidade de Alshon Jeffery e Kevin White, poderá ajudar a afastar o trigo do joio.

Para muitos o rookie (caloiro) Cyrus Jones já fez o suficiente para conquistar um dos lugares e uma nova boa exibição frente aos Bears poderá ser decisiva.

ap_crevon_leblanc.jpg

Os rookies Cre'Von LeBlanc e Jonathan Jones não foram escolhidos por ninguém no draft e por isso têm sido destaques inesperados.

LeBlanc fez uma interceção espetacular frente aos Saints, feito que repetiu no treino de quarta-feira.

"Ele (LeBlanc) tem sido bastante competitivo," disse Belichick no início da semana. "Acho que tem jogado bem. Obviamente, a jogada que fez contra os Saints foi muito especial... mas dia após dia ele tem sido muito consistente para nós, desde a primavera. Eu diria que os seus instintos, a sua capacidade para estar sempre perto da bola, a sua antecipação e capacidade de reconhecer as rotas talvez compense alguns dos números, que não são de elite, nos testes."

Jones, escolhido na segunda ronda do draft, em Abril, também fez boas jogadas frente aos Saints.

"Acho que me saí bem", disse Jones. "Há sempre espaço para melhorar, e estou a tentar ficar melhor cada vez que entro em campo, tirar proveito dos treinos e mostrar isso no jogo."

"Senti que estava preparado para o jogo, e tentei fazer o meu trabalho, estar no lugar certo e reconhecer as minhas responsabilidades em tudo o que eu tinha que fazer, quer fosse no punt return ou na defesa. Estou focado em fazer o meu trabalho no melhor da minha capacidade."

Bill Belichick reconhece que estes jovens têm trabalhado imenso, mas a curva de aprendizagem leva algum tempo a ser dominada. 

"Eles têm sido colocados à prova," disse Belichick. "E vão ser colocados à prova (hoje). Ganhamos algumas (batalhas), perdemos outras, mas eles dão luta. Estão cá todos os dias a lutar, e isso é parte importante. Esse grupo tem sido muito consistente em termos de aparecer todos os dias para continuar a trabalhar para melhorar, e tem melhorado. Eles estão a melhorar e têm enfrentado alguns jogadores muito bons."

Quantos receivers vão agarrar a oportunidade

No topo desta lista é obrigatório colocar o nome de Aaron Dobson, que todos os anos mostra um potencial tremendo durante o estágio, mas depois quase desaparece nos jogos a valer.

Este ano, a situação foi ainda mais favorável para ele porque Julian Edelman esteve lesionado, regressou frente aos Saints e tornou a lesionar-se, e Danny Amendola continua na PUP.

As lesões afetaram igualmente Chris Hogan, que falhou uma semana de treinos: Keshawn Martin, que continua afastado devido a lesão de teor não divulgado: e Malcolm Mitchell, que saiu lesionado frente aos Saints e deverá estar inativo durante cerca de um mês.

Devido a isso os exercícios com os receivers têm sido divididos entre Dobson, DeAndre Carter, Chris Harper, Nate Washington, e Devin Lucien. 

A situação de Dotson complicou-se ainda mais nos últimos dias porque Nate Washington, que falhou vários treinos devido a lesão, teve uma semana muito produtiva frente aos Bears. 

No jogo desta noite Dotson terá de mostrar serviço, pois Martin recebeu $600.000 de prémio de assinatura e como tal será muito mais dispendioso de dispensar.

David Andrews poderá tirar o lugar a Bryan Stork

O jovem David Andrews, mais um que não foi escolhido no draft do ano passado, surpreendeu ao ser titular na parte inicial da temporada devido a lesões na linha ofensiva. Entretanto, com a passagem do tempo acabou por ser substituído por Bryan Stork, escolhido na quarta ronda do ano anterior, mas o rendimento dos dois neste estágio aponta mais para Andrews.

ap_bill_belichick.jpg

"Está apenas no seu segundo ano, mas (tem) muito mais experiência e confiança e reações mais rápidas e faz chamadas na line of scrimmage, tudo muito mais do que fez no ano passado," disse Bill Belichick. "Não que tivesse estado mal no ano passado, ele foi bom. Foi muito bom para um rookie, mas este ano está ainda melhor. Ele tem mais experiência e eu diria mais confiança. Nós fazemos algumas coisas com a cadência e ele também faz um bom trabalho com isso. Ele acrescentou muitas coisas ao seu desempenho, pequenas coisas, mas contam. Ele fez um bom trabalho."

Contra os Saints, Andrews esteve em 25 jogadas, Stork em 16.

Para agravar ainda mais a sua situação, Stork, que falhou oito jogos por lesão no ano passado, foi expulso do treino na terça-feira, a segunda vez que isso acontece nesta pré-temporada.

Chegou a hora de responder à chamada

Muitos dos 90 jogadores que estão no estágio já têm o seu destino mais ou menos decidido, alguns com lugar certo na equipa, outros destinados a ficar desempregados a partir de Setembro. Restam aqueles que não estão nem num lado, nem no outro, e que terão obrigatoriamente de agarrar todas as oportunidades para mostrarem aos treinadores que merecem lugar entre os 53 jogadores do plantel. Uma simples jogada, boa ou má, poderá fazer a diferença. Mas, não é apenas Bill Belichick que está a avaliar o seu trabalho. Aqueles que não fiquem nos Patriots, que tem um plantel rico em qualidade e no qual não cabem todos os bons jogadores que estão no estágio, sabem que poderão surgir oportunidades nas outras equipas da NFL. A pressão é enorme, mas sem pressão não há oportunidades e neste jogo muitos vão ser aqueles que ou as aproveitam ou vão à vida.

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Latest News

Advertising