Official website of the New England Patriots

replay
Patriots Replay Fri May 29 | 12:00 AM - 11:58 PM

Capitães dos Patriots alertam para os perigos no jogo frente a Houston

As estatísticas favorecem esmagadoramente os Patriots. Mas em Houston ainda há esperança porque lá diz o velho ditado que os ataques ganham fãs, mas as defesas conquistam títulos. E os Texans têm a melhor defesa da NFL, a segunda melhor contra o jogo aéreo, teoricamente o ponto mais forte dos Patriots.

É uma unidade que contem vários jogadores de grande valor, desde os linebackers Jadeveon Clowney e Whitney Mercilus ao cornerback A.J. Bouye.

Mas, por outro lado, há o contraste entre o rendimento em casa e fora. No NRG Stadium os Texans permitem 16,3 pontos por jogo, mas fora de casa a média sobe consideravelmente, para 24,4 pontos.

O ataque, apesar das dificuldades que tem sentido para pontuar, tem um running back, Lamar Miller, que superou a marca das 1.000 jardas, e um wide receiver, DeAndre Hopkins, que quando está em forma é considerado um dos cinco melhores da liga.

Mas, o ataque tem sido realmente o calcanhar de Aquiles dos Texans, pois consegue apenas uma média de 17,4 pontos por jogo. E é por isso que, apesar da excelente defesa, os Texans sofreram mais 36 pontos do que marcaram.

O quarterback Brock Osweiler tem menos touchdowns, 15, do que interceções, 16.

Piores ataques do que Houston, na NFL, apenas os Browns, 49ers e Rams.  

Por isso não é de estranhar que os Texans sejam a pior equipa da liga em jardas por tentativa de passe (5,9), graças a uma percentagem de apenas 59,5 por cento de passes completados, a vigésima quinta média na NFL.

As equipas especiais também têm sido um problema, pois surgem no 29º posto, com uma média de 18,6 jardas por retorno, o que se torna ainda mais dramático porque são a equipa que mais jardas permite aos adversários nos kick returns.

Os jogadores dos Patriots estão a par de todos esses dados, mas a equipa técnica liderada por Bill Belichick tudo tem feito para passar a mensagem de que quem subestima o adversário corre o sério risco de perder o jogo. Pelo que se ouviu dos capitães de equipa na quarta-feira a mensagem foi recebida e passada aos restantes jogadores.

O QUE PENSAM OS CAPITÃES DOS PATRIOTS

Na quarta-feira, a comunicação social teve acesso a vários capitães dos Patriots e as respostas obtidas deixaram bem claro que ninguém vai entrar em campo no sábado à noite a pensar já no próximo jogo. Para eles, ganhar a Houston vai exigir muito esforço e uma boa exibição, idealmente sem erros.

O discurso dos capitães dos Patriots deixou isso bem claro.

Na conferência de imprensa com os jornalistas de Houston, o* quarterback* Tom Brady, um dos capitães do ataque, começou por elogiar a secundária dos Texans.

43fade8b0f2d4cdf84c3894bf8d4af25.jpg

"Eles têm jogado tão bem como qualquer secundária que já defrontamos durante toda esta temporada," disse Tom Brady. "Os jogadores de cobertura têm feito um ótimo trabalho e há algum motivo para [a defesa deles] ser considerada a número um. Eles não consentem jardas fáceis no jogo aéreo. Não permitem avanços longos. Eles estão muito bem treinados, o que é muito fácil de ver. Eu penso que eles realmente têm vindo a melhorar imenso ao longo de toda a temporada. Tenho estado muito impressionado com o que vi.

"Eles não têm nenhum ponto fraco na defesa, por isso vamos ter que jogar bom football, sólido, e tentar tirar proveito das nossas oportunidades, se as tivermos."

Na área das equipas especiais, os Patriots aparentemente têm uma vantagem tremenda. No jogo em que estas duas equipas se defrontaram a 22 de Setembro, um* fumble* no kickoff, a 2:01 do final do primeiro período, permitiu subir a vantagem para 10-0. Na altura trouxe grande tranquilidade aos Patriots, pois Jacoby Brissette fazia a sua estreia a quarterback e por isso receava-se que a equipa tivesse dificuldade em conseguir pontos suficientes no jogo.

Além disso o punter Ryan Alen, que posteriormente acabaria por ser nomeado Jogador da Semana devido à sua exibição, conseguiu colocar seis dos sete punts dentro da linha de 20 jardas dos Texans.

matthew-slater-121516.jpg

Mesmo assim, Matthew Slater, capitão das equipas especiais dos Patriots, não se sente totalmente confiante.

"Sabemos que estamos na National Football League", explicou Matthew  Slater. "Muitos de nós em 2010 estivemos numa situação semelhante com os Jets, e vimos como foi. Eu conheço o Bill O'Brien [treinador de Houston]. Ele foi o meu primeiro treinador de posição na NFL. Ele vai ter aqueles jogadores preparados para jogar. O treinador Romeu (Crennel), o treinador (Mike) Vrabel, o treinador (Larry) Izzo —... eles vão ter os seus jogadores preparados para jogar.   

"Independentemente do que dizem as probabilidades sobre quem é o favorito, isto, aquilo e a outra coisa — isso não significa nada para nós. Temos que ir para dentro do campo e jogar este jogo, porque sabemos que eles vão estar preparados."

É caso para dizer que gato escaldado da água tem medo. Na realidade em 2010, os Patriots haviam goleado os Jets, 45-3, em Dezembro, e pouco mais de um mês depois, a 16 de Janeiro de 2011, foram surpreendidos em Foxboro, perdendo 28-21.

A vitória de Houston na semana passada elevou os níveis de confiança da equipa e por issoDevin McCourty, um dos capitães de defesa dos Patriots, não quer ouvir falar em comparações com o jogo de Setembro.

MUITO MUDOU DESDE A TERCEIRA JORNADA

"Jogámos contra eles na semana 3," relembrou Devin McCourty. "Penso que uma [das diferenças] é que os seus tight ends estão a fazer mais jogadas agora do que na primeira vez que jogamos contra eles. O jogo corrido tem estado realmente a trabalhar bem para eles, o Lamar Miller está em forma e têm-lhe dado a bola. Penso que ele teve a bola 30 vezes no último jogo; bem, fez 30 corridas."

2200be2ad5bc42e99eefc45c404d23e1.jpg

Depois de considerar que Houston vai estar preparado porque a sua equipa técnica conhece muito bem os Patriots, Devin McCourty avisou que os Texans vão trazer para Foxboro "um plano de jogo. Eu penso que nós mudamos um pouco desde a primeira vez que jogámos contra eles, por isso eles vão vir preparados para fazer coisas diferentes, que eles pensam que nós não fazemos bem, e [digo isto] só por conhecer a equipa técnica e como eles elaboram o plano de jogo. Por isso, exatamente o que eles vão fazer, não temos certeza enquanto não estivermos em campo e estivermos a jogar, mas eles ainda têm [DeAndre] Hopkins, ainda têm [Will] Fuller para os passes longos e completar jogadas. Conseguimos fazer um trabalho decente no primeiro jogo, mas não penso que isso realmente vai querer dizer alguma coisa para este jogo no sábado à noite."

O linebacker Dont'a Hightower, um dos outros capitães da defesa, também ficou impressionado com a melhoria registada pelo ataque de Houston.

"Depois de assistir ao filme [dos jogos de Houston] nestas últimas duas semanas [e] deste último jogo, o Brock [Osweiler] parece muito mais confortável e eles estão a tentar passar a bola ao [DeAndre] Hopkins. No seu todo, penso que eles realmente encontraram a sua identidade e descobriram no que são bons e o que precisam de fazer e têm-se destacado a fazer isso."

Sobre o grande favoritismo dos Patriots, Dont'a Hightower, disse aos jornalistas que "vocês não têm nada a ver com o jogo, por isso o que vocês pensam não importa. Quero dizer, vocês não estão dentro das quatro linhas. Por isso, eu não – bloquear o ruído faz parte disso."

A encerrar, Tom Brady tentou colocar tudo em perspetiva.

"Vejo este como o jogo mais importante que jogámos toda a temporada contra a melhor defesa que defrontámos durante toda a temporada," concluiu Tom Brady. "Não vejo qualquer abrandamento da nossa parte. É ridículo pensar isso. Estou-me a preparar como se fosse o jogo mais difícil que já enfrentamos durante toda a temporada, e que vai ser, e por isso tem maior significado. Há apenas uma prioridade para todos nós esta semana, que é  estarmos no nosso melhor, mentalmente, fisicamente, emocionalmente durante três horas na noite de sábado, começando às 20:00. Toda a minha atenção está focada naquelas três horas e em estar preparado para aquele momento para que possamos entrar em campo e jogar com antecipação e confiança contra a melhor defesa que defrontámos durante toda a temporada. Não há nada fácil nisso."

Ora aí está. A mensagem dos capitães foi bem clara. Nada de brincadeiras, vamos levar isto muito a sério porque só assim se podem ganhar jogos.

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Advertising