Official website of the New England Patriots

replay
Replay: Patriots Unfiltered Mon Aug 10 | 12:00 AM - 11:59 PM

Duo Rob Gronkowski-Martellus Bennett começa a fazer os estragos esperados

Quando, a 16 de Março, o técnico Bill Belichick decidiu adquirir Martellus Bennett ao Chicago Bears, por troca de uma escolha de quarta ronda no draft de 2016, a primeira reação dos fãs foi: quem vai conseguir parar os nossos dois tight ends? Rob Gronkowski é o melhor, juntamente com Bennett vão ser imparáveis. 

c24811d08ac54d68ba03fbfaf8af1013.jpg

Mas, a pré-temporada não correu nada bem. A lesão que afastou Rob Gronkowski durante largas semanas e a suspensão de Tom Brady retardaram o entrosamento deste trio. Mas, domingo em Cleveland, o esperado começou a tornar-se realidade. Conjuntamente receberam 11 dos 28 passes completados por Brady, totalizando entre si 176 jardas e três* touchdowns*, todos por Bennett.

Além dos resultados mesuráveis, há também que considerar a forma como a presença dos dois tight ends em campo afeta, de forma positiva, todos os outros jogadores do ataque. No caso de Brady, por duas vezes conseguiu a primeira descida através de scrambles pois o duo tinham ocupado quatro defesas adversários.

E, claro, ajudam-se um ao outro. Por exemplo num dos touchdowns de Bennett, Gronkowski arrastou dois defesas consigo até ao end zone, deixando Bennett completamente solto de marcação para um dos *touchdowns *mais fáceis da carreira de Tom Brady.

Por isso, há muito quem considere que neste momento os Patriots têm os dois melhores tight ends na NFL. 

A exibição frente a Cleveland entusiasmou todos, incluindo o proprietário Robert Kraft que, durante uma visita ao Liceu de Revere, conversou sobre o assunto com um dos jornalistas do Boston Herald.

"Nunca me lembro de ver dois tights ends assim na mesma equipa," disse Robert Kraft. "Penso que eu se fosse o coordenador ofensivo adversário teria as mãos cheias. Mas é divertido para os nossos fãs."

Sobre Gronkowski não há surpresa, ele já era considerado o melhor por isso a única questão prendia-se com a saúde. Tem vindo gradualmente a aumentar o número de jogadas, ou snaps, em que participa. Começou com 14 frente a Houston, onde foi basicamente uma espécie de isca, subiu para 39 contra Buffalo e chegou ás 60 em Cleveland. 

"Senti-me muito melhor esta semana," disse Gronkowski depois do jogo de domingo. "Ao longo das semanas, tem havido uma melhoria todos os dias, todas as semanas. Agora, vou voltar à minha [forma] antiga, por isso sinto-me bem. Eu adoro jogar football, agora que estou recuperado."

Em relação a Bennett pode-se até dizer que tem excedido as expetativas. Tem-se mostrado devastador nos bloqueios, pois no primeiro jogo, em Arizona, foi essa a sua missão principal e não se mostrou nada aborrecido com isso, mas como recebedor tem sido quase imparável, de tal forma que presentemente lidera os Patriots, com 21 receções, totalizando 314 jardas e 4 touchdowns.

Josh McDaniels explica as vantagens de ter dois jogadores assim

Quando lhe perguntaram como é que este duo aumentava o leque de opções na criação de planos de jogo ofensivos, o coordenador Josh McDaniels mostrou-se bastante entusiasmado.

ab5ce35c99d545d58c994cec2e4d86c7.jpg

"Tentamos sempre utilizar os nossos jogadores e colocá-los em posição de fazer as coisas que eles fazem bem," começou por explicar McDaniels. "Certamente, o Rob [Gronkowski] e o Marty [Martellus Bennett] são capazes de fazer muitas coisas diferentes. Eles bloqueiam no jogo terrestre, fazem proteção no jogo aéreo, recebem passes e depois avançam com a bola após receberem o passe."

"O nosso objetivo todas as semanas é permitir que os nossos jogadores vão para o campo e façam as coisas que têm confiança em fazer na esperança de que façam isso tantas vezes quanto possível durante todo o jogo. Eles certamente que nos dão alguma flexibilidade e esperemos que possamos aumentar sobre isso com o decorrer da temporada."

E quando lhe perguntaram por que motivo os Patriots parecem ter uma certa fascinação com a utilização de duos de tight ends, algo que já tinha dado excelente resultado quando Aaron Hernandez jogava no lado contrário de Gronkowski, McDaniels confirmou que está tudo relacionado com o tipo de pressões adicionais que são colocadas sobre as defesas.

Assim quando há alguma posição na qual os jogadores conseguem desempenhar funções múltiplas, "por vezes as defesas são obrigadas a tomar certas decisões sobre a forma como defender contra esses jogadores. Algumas equipas optam por considerá-los e defendê-los mais como se fossem recebedores. Algumas equipas estão preocupados com o jogo terrestre e o impacto que eles podem ter no jogo terrestre. Há algumas equipas que tentam fazer uma mistura dos dois aspetos."

Como nunca se sabe que tipo de defesa se vai defrontar, é vantajoso ter jogadores flexíveis porque dessa forma "as defesas têm que tomar decisões sobre a forma como querem defendê-los. Os nossos jogadores têm que estar preparados para as duas [possibilidades]. Este ano já vimos as duas abordagens, nós vamos ter que nos preparar para cada uma durante a semana porque não estamos 100% certos da forma como cada equipa vai tentar nos atacar. Eu preparo o plano de jogo para nós e os nossos jogadores fazem um bom trabalho a estudar e a prepararam-se para qualquer uma, dependendo da forma como jogam contra nós em qualquer domingo."

Gronkowski e Bennett já estão em sintonia    

Para Rob Gronkowski, a presença de Martellus Bennett decerto vai proporcionar mais oportunidades. Frente a Cleveland foi coberto por dois adversários em sensivelmente metade das rotas, mas como isso resultou em oportunidades para Bennett é possível que futuramente as defesas adversárias sejam obrigadas a alterar a sua cobertura.

"Foi ótimo, é por isso que este é um jogo coletivo," disse Gronkowski. "Os dois defensores vieram para mim e marcaram o Marty [Martellus Bennett] homem-a-homem na red zone. Isso dá aos outros oportunidades para capitalizar. É por isso que um ótimo desporto para jogar, porque é um desporto tão coletivo."

Sobre o seu relacionamento com Bennett, Gronkowski considerou que o colega "é um tipo ótimo com que quem se pode trabalhar. Temos estado à espera de podermos jogar juntos e estarmos os dois saudáveis ao mesmo tempo."

Bennett recebeu cobertura dupla em oito ocasiões e tirou proveito disso devido à comunicação com Tom Brady.

"A comunicação é enormemente importante," explicou Bennett. "É saber o que ele espera, o que ele quer e tentar fazer isso corretamente. Realmente trata-se disso. Há muitas coisas que o Tom [Brady] me comunicou anteriormente durante o verão, nos treinos, e uma delas resultou no segundo touchdown".

E, claro, Bennett adora jogar com Rob Gronkowski porque "é muito dinâmico quando estamos os dois em campo."

Há mais receivers talentosos

Voltando à situação apresentada por Josh McDaniels, quando as defesas adversárias entenderem que para ganhar aos Patriots terão que tentar anular este duo, o ataque tem muitas outras opções de grande qualidade. 

"Penso que temos um grupo muito trabalhador de recebedores. Seria difícil para mim escolher um," disse Bill Belichick. "Eu diria que ninguém se esforça mais do que o Chris [Hogan]. Mais ninguém trabalha mais arduamente do que o [Matthew] Slater. Ninguém trabalha mais arduamente do que o [Julian] Edelman. Ninguém trabalha mais arduamente do que o [Danny] Amendola. Todos trabalham muito arduamente."

O problema para os adversários é que para além dos habituais destaques, como Julian Edelman e Danny Amendola, há agora que acrescentar Chris Hogan. Fez um grande jogo contra Cleveland, superando as 100 jardas em receções [114], mas tudo indica que o seu rendimento vai continuar a subir.

"A situação do Chris, embora ele tenha alguma experiência na NFL, acho que algumas das coisas que lhe pedimos para ele fazer no jogo aéreo foram novidade para ele, talvez sejam um pouco diferentes na nossa estrutura ofensiva," explicou Belichick. "Ele trabalhou muito arduamente nesses aspetos - a comunicação, os ajustes nas rotas, a técnica - e tem jogado em posições diferentes porque isso também faz parte do nosso ataque. Como sabem, os jogadores trocam um pouco de posição. Então definitivamente há uma curva de aprendizagem, mas ele tem feito um bom trabalho com isso."

Frente a Cleveland tivemos apenas a primeira demonstração do potencial do ataque dos Patriots. A segunda página vai ser virada este domingo, contra Cincinnati.

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Advertising