Official website of the New England Patriots

replay
Patriots Replay Tue Sep 29 | 02:00 PM - 11:59 PM

Foi importante ter um bom começo de jogo

O Los Angeles Rams ganhou o lançamento da moeda ao ar antes do início do encontro e decidiu defender primeiro, permitindo assim que o jogo começasse com o ataque dos Patriots a tentar marcar. Foi o primeiro dos muitos erros cometidos pelos Rams, pois na primeira série os Patriots não sentiram grandes dificuldades em marchar 80 jardas em 4:14, um ataque culminado com arranque espetacular de LeGarrette Blount que colocou a equipa da casa em vantagem, 6-0.

"Estamos sempre a pregar que temos que começar rápido, esse é o começo ideal para todas as equipas na NFL," sugeriu LeGarrette Blount. "Se conseguires fazer isso, sabes que vais conseguir que tudo o resto ande bem, pois [a vantagem] permite-te abrir o livro de jogadas e escolher as jogadas que quiseres, é como [se tivesses] o ás de trunfo no baralho."

"O objetivo é sempre começar rápido, mas entrar em campo e marcar seis [pontos] contra uma equipa que não conheces muito bem e estar a jogar em vantagem sobre uma equipa destas é enorme," acrescentou Julian Edelman. "Foi ótimo entrar em campo e conseguir aquele touchdown logo de entrada. Torno a repetir, são as faltas e as jogadas negativas que normalmente nos fazem parar e nos fazem sair do ritmo, por isso nós vamos ter que trabalhar nisso e melhorar."

Quem beneficiou da vantagem foi Tom Brady, que acabaria por completar 33 de 46 passes, para 269 jardas, sem interceções, no dia em que estabeleceu nova marca na NFL ao registar a vitória número 201.

E também Tom Brady considerou que o arranque em força foi "muito bom. A primeira série foi boa. O LG [LeGarrette Blount] fez uma grande corrida quando precisávamos de uma distância curta e ele fugiu pela faixa lateral. Ele tem muita velocidade. Quer dizer, ele nunca é apanhado. Ele tem feito tantas corridas explosivas por nós, por isso foi ótimo ter tido um começo assim tão rápido."

a99387ca22304d7b9c05abb6b09f6a27.jpg

O ataque emperrou um pouco, mas no início do segundo período um excelente passe de Tom Brady para Chris Hogan, que fez receção de grande nível, aumentou a vantagem para 14-0.

"Tens que ter controlo do teu corpo, rodando rapidamente a tua cabeça e, claro, primeiro segurando a bola, e depois deixar os teus pés mortos para que eles caiam diretamente na end zone," explicou Chris Hogan.Foi um grande passe do Tom [Brady].

"Foi bom. Estávamos a jogar em casa, por isso foi ótimo começar rápido na primeira série. Andámos ali um bocadinho para trás e para a frente, mas no cômputo geral penso que o ataque jogou bem hoje."

As estatísticas ao intervalo confirmam que os primeiros 30 minutos foram um domínio total dos Patriots. Em jardas percorridas a vantagem foi 230 a 25, em tempo de posse de bola 21:51 a 08:09, por isso o marcador estava em 17-0.

BOM COMEÇO TAMBÉM FOI IMPORTANTE PARA A DEFESA

Mas esta entrada rápida não favoreceu apenas o ataque, foi também importante para a defesa.

"Nós sabíamos que ia ser muito importante hoje porque quando vimos [os filmes de] alguns jogos dos Rams, notámos que quando eles conseguem ter um bom início de jogo e marcam logo pontos, depois a defesa faz three and out e tornam a marcar outra vez," revelou Devin McCourty, um dos capitães da defesa. "Aconteceu no jogo contra New Orleans, eles fizeram três touchdowns muito rapidamente, por isso sabíamos que se conseguíssemos um bom começo, poderíamos controlar o jogo. Vimos isso nos dois lados – o ataque a descer e a marcar e de seguida [a defesa a fazer] three and out. Penso que isso levou o jogo a correr como correu, por termos entrado bem e termos estado preparados para jogar."

"Nós sabíamos que eles tinham talento, nós sabíamos que eles jogam com muita velocidade," acrescentou o cornerback Logan Ryan. "Tivemos que entrar a jogar com rapidez, corresponder de forma igual desde cedo, tentar impor a nossa vontade, quando possível, e conseguimos fazer isso, portanto conseguimos ver o que somos capazes de fazer quando estamos a jogar bem."

df12ff11988b4a89bc06dfbbc07bfcc3.jpg

Já para o cornerback Malcolm Butler o segredo foi a equipa ter parado "o jogo terrestre, não permitimos avanços longos, jogámos bem, jogámos football complementar. Há algumas coisas aqui e ali que teremos que arranjar, mas penso que fizemos um bom jogo."

Sobre a sua interceção, que resultou no touchdown de Chris Hogan, Malcolm Butler limitou-se a dizer que "o importante é chegar à bola, aconteça o que acontecer. Eu estava a fazer marcação homem-homem, estava na minha marcação, vi que a bola foi desviada e vi uma oportunidade. Segurei a bola e tentei avançar."

O novo reforço Kyle Van Noy também teve uma interceção no terceiro período, indicação de que a defesa dá sinais de melhoria.

CONSEGUIR TURNOVERS  É IMPORTANTE

Para Devin McCourty conseguir turnovers "é enorme. Eu disse há duas semanas atrás – nada nos ajudaria mais na defesa do que conseguir turnovers. Começando com o Malcolm [Butler] e depois o Kyle [Van Noy] a completarem jogadas. Hoje tivemos um excelente pass rush, eles conseguiram penetrar, forçar alguns passes um pouco desviados, e depois a secundária conseguiu aproveitar."

"Foi ótimo. Conforme eu disse anteriormente, os turnovers chegam às mãos cheias. Quando começas a fazê-los, eles começam a chegar. Tivemos alguns sacks hoje, duas interceções," acrescentou Malcolm Butler. "Estamos apenas a tentar subir de forma de semana a semana. Não foi perfeito, mas nós estamos a tentar dar um passo [em frente] todas as semanas."

"[Os] treinadores estão sempre a pregar isso, para irmos tentar retirar a bola, e isso faz parte da defesa, tentar criar turnovers," acrescentou o defensive lineman Jabaal Sheard. "Fizemos um trabalho Okay hoje e há sempre espaço para melhorar. É algo que temos que trabalhar, e todas as semanas trabalhamos para conseguir turnovers, procurando a bola e tentando tirar-lhes a bola. Temos apenas que continuar a melhorar."

O veterano Chris Long, que está a fazer a sua primeira temporada nos Patriots, teve um dos quatro sacks e salienta que nada acontece por acaso, tudo depende do trabalho colectivo.

"Penso que têm havido algumas mudanças subtis," sugeriu Chris Long. "Estamos a conseguir atingir [os adversários] e retirar a bola. O momento escolhido é a chave. A cobertura de hoje [na secundária] foi ótima e estivemos sempre em cima deles. O [Jared] Goff é um quarterback jovem e fizemos um bom trabalho em ficarmos na cara dele."

A DEFESA PENSA QUE ESTÁ A SUBIR DE RENDIMENTO

As estatísticas deste jogo sugerem que a defesa está a subir de rendimento. A dois minutos do fim do jogo, o ataque dos Rams tinha acumulado escassas 96 jardas e só ultrapassou a fasquia das 100 jardas devido a alguma confusão na última série. Os defesas sentem que esta unidade está a subir de rendimento.

"Eu penso que sim, ´não quero dar azar, mas penso que sim," disse Malcolm Butler. "Leva tempo para construiruma equipa, para nos conhecermos uns aos outros, para nos familiarizarmos com o estilo de cada um, como é que cada um joga, é um trabalho em pnjunto."

2cbed496313746b5a6fdaf62a46d2146.jpg

"Penso que tivemos uma boa semana e compreendemos que como eles têm um quarterback *jovem a melhor coisa a fazer era pressioná-lo e obrigá-lo a tomar decisões rápidas," acrescentou o linebacker* Rob Ninkovich. "Penso que fizemos um bom trabalho na cobertura e na pressão e tivemos uma boa execução global."

"Nós estamos apenas a levar uma semana de cada vez, não se pode dividir a temporada em semanas," revelou o cornerback Logan Ryan. "Nós apenas levamos uma semana de cada vez, estamos felizes por termos [ganho] este jogo e já estamos virados para o próximo."

"Nós vamos continuar a jogar, aconteça o que acontecer, a fasquia fica mais alta, todos tentam ganhar lugares na classificação, mas nós vamos continuar a jogar e a tentar melhorar," concluiu Malcolm Butler.

SUSPENSÃO DE ALAN BRANCH FOI REVOGADA

Inicialmente castigado com uma suspensão de quatro jogos por alegado uso de marijuana, suspensão que havia apelado, o defensive lineman Alan Branch foi informado de que a suspensão foi revogada.

ea02b197607340dbb2d8ce19d3eb89ca.jpg

"Eu não sei se foi um alívio, eu não estava muito preocupado porque sabia que não fiz nada de errado," disse Branch. "Ao fim do dia eu não estava à espera que me acontecesse alguma coisa, estava era desiludido por que o meu nome andava por aí, com as pessoas a pensarem que eu fizera algo que não fiz." 

Para os Patriots ficar sem os serviços de Alan Branch, que está a fazer uma temporada de grande nível, seria um prejuízo importante. Frente aos Rams, tornou a estar em grande destaque, pois logo na primeira jogada a bola foi entregue ao running back Todd Gurley, mas Branch estava à espera dele e os Rams começaram o jogo com a perca de uma jarda.

Branch reagiu de forma tempestiva e levantou-se rapidamente, gesticulando.

"Não, não foi [para enviar uma mensagem à liga], foi só eu a jogar, quando eu consigo TFLs [um tackle que resulta em perca de jardas para o adversário] eu fico entusiasmado, tentei trazer energia à equipa e ficar entusiasmado para o resto do jogo," explicou Branch aos jornalistas que o rodearam depois do final da partida.

Para muitos, a forma do momento é talvez a melhor da carreira de Alan Branch, que está com 31 anos de idade, pesa 350 libras (159 quilos) e tem 6 pés e 6 (1,98 metros) de altura.

"Este ano tem sido, sem dúvida, o mais produtivo que tive até agora," reconheceu Branch. "É o melhor? Quando se trata de números, provavelmente estará a ser, mas tem havido muitas jogadas e muitos jogos onde eu poderia ter feito melhor. Sou o meu maior crítico."

A sua boa exibição neste jogo foi apenas uma de várias no sector defensivo. Branch acredita que a defesa está a subir de forma, pois neste jogo "sentimo-nos bem, obrigando-os a sair do campo tantas vezes. Houve algumas jogadas onde poderíamos ter feito melhor, mas no cômputo geral não nos podemos queixar porque ganhámos o jogo."

Na sua opinião, parte do sucesso do pass rush ficou a dever-se ao facto de terem anulado o jogo terrestre dos Rams.

"Sim, quando se obriga uma equipa a lutar usando só uma mão vais estar sempre em vantagem porque como o nosso ataque estava a jogar bem, eles foram obrigados a tentar apanhar-nos e avançar no terreno e isso criou oportunidades para todos poderem completar jogadas," explicou Branch.

Quando a conversa regressou à revogação da suspensão, Alan Branch revelou que fora informado por carta, mas antes já tinha sido notificado pelo seu empresário. Em relação a um possível pedido de desculpa por parte da liga, Branch limitou-se a dizer que "ainda não recebi nada. Ainda não li os meus e-mails, ainda não abri os meus e-mails. Espero saber dentro em breve."

Para os Patriots a forma de comunicação da liga para com Alan Branch é irrelevante, o mais importante foi saber-se que o jogador, uma das pedras basilares da defesa, vai estar disponível para o resto da temporada.

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Advertising