Official website of the New England Patriots

replay
Patriots Replay Tue May 26 | 02:00 PM - 11:59 PM

O Que os Miami Dolphins Disseram Sobre o Jogo Com os Patriots

c02d9bee00c44ba1ae927c966601d6ad.jpg

Depois de revelar que só se encontrou uma vez comBill Belichick, "vi-o a ele e ao [adjunto] Mike Lombardi no Combine [evento de avaliação de jogadores universitários], foi a única vez que o conheci", o treinador *Adam Gase indicou que tem uma grande admiração pelo seu adversário de domingo.

"Sempre que se consegue ganhar a divisão com a frequência que ele tem feito," explicou Gase, "é algo impressionante, atendendo a todas as partes móveis, que temos por toda a liga, quer se trate de treinadores, direção, jogadores. Ser consistente dessa forma…(no) meu curto tempo na NFL, penso que sempre estiveram no topo desde que cheguei à liga. É esse o desafio que temos aqui, ir lá [a Foxboro] e compreender que para ganhar a uma equipa como essa, temos que jogar muito bem. Temos que jogar com inteligência. Temos de compreender que eles não nos vão dar nada."

O coordenador defensivo Vance Johnson mostrou-se igualmente impressionado com a forma como os Patriots conseguem adaptar-se e encontram sempre respostas para os planos de jogo dos adversários.

"Acho que principal desafio é que se tu vires quatro jogos, vês quatro equipas diferentes, por isso nunca tens a certeza do que vais encontrar," explicou Johnson. "É um pouco diferente com um* quarterback* jovem. No que se refere a plano de jogo, foi algo mais estável. Mas, no passado, [se] visses quatro jogos, vias quatro planos de jogo diferentes, quatro alvos diferentes. Há uma diferença enorme entre os planos de jogo. Esse é o maior receio quando vamos para um jogo destes." 

333a8635c75444f4a498afa8d3be0744.jpg

Embora o seu colega tenha sugerido que o ataque dos Patriots possa ser algo mais previsível com Jimmy Garoppolo, sugestão que possivelmente o fará engolir em seco quando tiver de colocar as suas pedras em campo para tentar anular os esquemas de Josh McDaniels, o coordenador ofensivo Clyde Christiansen antevê grandes dificuldades para o ataque de Miami.

Na opinião de Christiansen "há muitos motivos" que tornam difícil ganhar em Foxboro.

E a sua sugestão reside em vários fatores. Assim "A) Eles são uma boa equipa de football. B) É difícil vencer qualquer jogo fora de casa e eles são verdadeiramente bons. Vais lá acima [a Foxboro] e por vezes é o estado do tempo. Eles são simplesmente uma boa equipa. É difícil ganhar-lhes. É difícil ganhar a qualquer equipa fora de casa e especialmente quando é uma das melhores equipas. Não sinto que seja algo de místico, nem nada do género. Se fores lá e tomares conta do teu negócio, vais ter uma oportunidade e a bola movimenta-se. Se não conseguires, não [há nada]. Não é nada de especial." 

Os jogadores de Miami também expressaram o seu respeito e admiração pelos Patriots

Quando lhe perguntaram qual será o maior desafio apresentado pela defesa dos Patriots, o quarterback Ryan Tannehill, que foi muito elogiado por Bill Belichick durante a semana, começou por explicar que o problema principal está em "nunca se sabe" o que é que se vai encontrar pela frente.  

"Eles gostam de fazer a sua cobertura de homem [a-homem] mas vão sempre colocar em campo alguma coisa que eles ainda não mostraram no filme e tentar fazer com que tu te desequilibres um pouco – quer seja na proteção, um stunt [truque] na frente, um blitz ou uma cobertura que eles ainda não tinham mostrado. Tu nunca sabes até o jogo começar a decorrer e podem ser duas coisas diferentes ao longo do jogo. Essa é uma das coisas em que eles fazem um bom trabalho e nós temos que ficar em alerta e estar preparados para fazer o ajustamento quando isso acontece."

Do outro lado estará um jovem quarterback, Jimmy Garoppolo, que possivelmente nunca teve que lidar com o tipo e pressão que lhe vai colocada pela linha ofensiva dos Patriots. Mas, o respeito oferecido pelo adversário estende-se também a Garoppolo.

"[Ele é] um jovem com uma postura muito equilibrada," disse Ndamukong Suh, tackle defensivo dos Dolphis. "Obviamente, ele tem trabalho muito dentro desse sistema e ele compreende o que precisa de fazer. Na minha opinião, ele não quer ir [para o campo] e cometer quaisquer erros, e ele fez isso [em Arizona], na minha opinião. Penso que foi um dos motivos porque conseguiram sair de lá com uma vitória. Ao fim do dia, temos de ter a certeza que vamos a campo e que o perturbamos, obrigá-lo a andar às voltas e a sair do seu lugar, para que que fique desconfortável."

Lá diz o velho ditado que a conversa é barata. No domingo o que interessa é jogar bem, vamos ver se todos estes elogios dos Dolphins aos Patriots são, ou não, justificados. 

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Latest News

Advertising