Official website of the New England Patriots

replay
Replay: Patriots Unfiltered Sun Aug 02 - 12:00 AM | Mon Aug 03 - 11:59 PM

Regresso de Dion Lewis e estreia a marcar de Malcolm Mitchell entre os destaques

Totalmente recuperado da lesão no ligamento cruzado do joelho, sofrida na nona jornada da temporada passada, o running back Dion Lewis regressou finalmente à equipa e já deu um ar da sua graça na vitória sobre o São Francisco 49ers.

Recorde-se que Dion Lewis participou no estágio de pré-temporada, mas ressentiu-se da lesão, pelo que teve de ser submetido a nova intervenção cirúrgica. O regresso aos treinos ocorreu a 27 de Outubro, e foi ativado no domingo passado, mas não se chegou a equipar para o jogo frente a Seattle.

 O regresso aos relvados chegou finalmente no domingo. Conforme seria de prever esteve pouco participativo, registando cinco corridas para 23 jardas, e ainda três receções para mais 26 jardas.

São números algo humildes, mas o mais importante foi o regresso, o primeiro passo em direção à boa forma.

cd4f6681e5284525ba5222d58f1e4fb3.jpg

"É como andar de bicicleta, eu já jogo [football] há muito tempo, por isso fiquei feliz por poder estar em campo com os meus colegas," respondeu Lewis quando lhe perguntaram como se sentiu.

"Eu não pensei se ia ser atingido ou não ser atingido, estava preparado para jogar, entrar em campo e jogar football, estou saudável, não há que pensar em mais nada," acrescentou Lewis.

Para ele agora o mais importante "é habituar-me ao ritmo do jogo, senti-me bem, senti-me como sempre me sinto, agora é recuperar o ritmo, quanto mais repetições (jogadas) tiver, mais confortável vou estar."

Quando lhe perguntaram se tinha tido algum receio quando sofreu o primeiro contacto, Dion Lewis deixou bem claro que estava devidamente preparado para esse momento.

"(Na minha vida) passei por coisas muito mais difíceis do que isto," respondeu Lewis. "Passei por coisas muito piores do que não poder jogar por estar lesionado. Toda a minha vida tenho vindo a preparar-me para este momento, e tenho sempre conseguido seguir em frente."

Quem também ficou muito satisfeito com o regresso de Dion Lewis foi o treinador Bill Belichick.

"O Dion tem trabalhado imenso," disse Belichick. "Teve a oportunidade de jogar hoje, vamos ver o filme (do jogo) para ver como é que foi, penso que nos ajudou, esperamos que continue a melhorar, com a rotina do jogo, os mecanismos. Embora treinemos imenso, no jogo é diferente, mas penso que ele se portou bem, teve um bom início hoje."  

"Vou ter que ver o filme, mas senti-me bem, foi um dia bom," concluiu Dion Lewis.

MALCOLM MITCHELL AGARROU A OPORTUNIDADE

Quando foi anunciado que Chris Hogan não ia seguir viagem com a equipa e portanto ficava de fora, juntamente com Rob Gronkowski, calculou-se que isso significaria uma maior participação no plano de jogo por parte de Danny Amendola e também do rookie Malcolm Mitchell.

Danny Amendola participou apenas em 26 snaps, ou jogadas, no jogo frente a Seattle pois os Patriots continuam a tentar limitar os seus minutos de jogo enquanto ele não estiver totalmente recuperado das lesões que o têm afetado. Por isso esperava-se que Malcolm Mitchell pudesse continuar o seu desenvolvimento nesta sua primeira grande oportunidade.

E foi isso que ele fez.

8aab58d0726148a1a13554edac87aac9.jpg

"Foi ótimo ver ele dar um passo em frente e tirar proveito desta oportunidade, precisávamos disso na ausência do Chris (Hogan)," disse Bill Belichick na conferência de imprensa pós-jogo.

A sua primeira receção surgiu no segundo período, um passe de 13 jardas, mas aquela série acabaria por estagnar, curiosamente quando uma falta anulou um touchdown de 35 jardas de LeGarrette Blount.

Mas, as receções mais importantes de Malcolm Mitchell surgiram no terceiro período. Com o resultado ainda em dúvida, em 13-10 a favor dos Patriots, numa terceira-e-9 Mitchell segurou um passe de Tom Brady, avançando 21 jardas. Faltavam apenas 3:28 para o final do terceiro período e pouco depois um passe acrobático de Tom Brady para Danny Amendola ampliou a vantagem dos Patriots para 20-10.

Menos de cinco minutos depois, com Tom Brady em fuga da pressão da defesa da casa, Malcolm Mitchell conseguiu libertar-se de marcação, recebeu o passe e arrancou 56 jardas para o touchdown que decidiu o jogo. Com o resultado em 27-10 e apenas 10 minutos por jogar, nada havia a fazer para a equipa de São Francisco.

"Foi um passe numa terceira descida e (o Malcolm Mitchell) estava aquém do poste de marcação [da primeira descida] e quando eu fiz o scramble ele rodopiou e eu notei uma pequena separação e tentei dar-lhe uma oportunidade," explicouTom Brady na conferência de imprensa pós-jogo. "Ele fez uma grande jogada. Foi uma jogada fenomenal do Malcolm e nós realmente precisávamos disso."

"Foi uma jogada de scramble, por isso eu estava apenas a tentar desmarcar-me,'' disse Mitchell. "E o Tom [Brady] sendo quem é, encontrou-me."

18fac1d78014436286dedd1b84246ab8.jpg

Depois de receber o passe Malcolm Mitchell pensou apenas em "não ser apanhado. Arranquei, como já tinha feito uma ou duas vezes [esta temporada], mas tinha sido apanhado, por isso estava apenas a tentar evitar que me apanhassem."

Curiosamente, para Bill Belichick esta até nem foi a melhor jogada de Malcolm Mitchell. Para o treinador dos Patriots o lance mais marcante ocorreu na segunda série, ainda no primeiro período, quando um bloqueio seu permitiu queLeGarrette Blount conseguisse avançar 44 jardas.  

"Honestamente penso que a melhor jogada que ele [Malcolm Mitchell] fez, vista da linha lateral, foi o bloqueio que ele fez na corrida do LG [LeGarrette Blount] no primeiro período, pareceu que ia ser um avanço de 20 jardas e acabou por ser um avanço de 40 jardas, ou qualquer coisa do género," disse Belichick. "O Malcolm trabalha sempre arduamente, é um rapaz inteligente, teve uma oportunidade hoje e sem dúvida que deu um passo em frente e a nossa equipa precisava disso."

"Ele [Mitchell] traz o capacete todos os dias, pronto para trabalhar e tenho estado impressionado com ele desde o primeiro dia que cá chegou," acrescentou Tom Brady. "A personalidade dele é contagiante, é uma pessoa muito positiva, fez uma grande jogada, fez várias jogadas importantes, tem vindo a crescer, é ótimo ver isso."

O jovem receiver estava naturalmente satisfeito quando se viu rodeado de jornalistas após o final da partida, mas reconheceu que o seu sucesso neste jogo se ficou a dever em grande parte ao trabalho feito durante os treinos.

"Os treinadores fizeram um excelente trabalho durante toda a semana para me prepararam," reconheceu Mitchell. "A decisão sobre o Chris (Hogan) foi tomada à última da hora. Eu tenho trabalhado arduamente todas as semanas para estar preparado e poder aproveitar qualquer oportunidade que me surgisse."  

Agora é preciso dar continuidade ao trabalho, porque decerto, depois da exibição em São Francisco, mais oportunidades vão surgir.

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Advertising