Official website of the New England Patriots

Abordagens diferentes na preparação das duas equipas

Os jornalistas bem tentaram detetar os temas que vão motivar o New England Patriots para o jogo de domingo, em Buffalo, desde a necessidade de vingar a primeira derrota à possível retaliação pelos incidentes ocorridos antes do início do primeiro jogo entre as duas equipas. Mas, no balneário dos Patriots a única ideia prevalente é a necessidade de preparar adequadamente o jogo, como aliás se faz todas as semanas. Todo o outro tipo de ruído fica para o adversário.

Em contraste, em Buffalo, nota-se um sentido de urgência e a preocupação com alguns aspetos que nada têm a ver com o jogo em si.

015b32e23f0a44b1a26982c02201fe45.jpg

Rex Ryan, treinador do Buffalo Bills, logo na segunda-feira, quando falou aos jornalistas pela primeira vez sobre este jogo, deixou bem clara a mensagem que quer transmitir para dentro do seu balneário.  

"Não sei como é que pode haver algum [jogo] mais importante do que este," disse Rex Ryan. "Eu poderia mentir-vos e dizer que não é importante, mas este é um jogo crítico para nós. Não há dúvida sobre isso. Estraga-nos a temporada se perdermos? Espero que não tenha que me preocupar com isso. Temos que encontrar uma maneira de ganhar este jogo."

Na realidade, os Bills, que presentemente têm dois jogos de atraso dos Patriots, no curto espaço de duas semanas poderão ficar eliminados de qualquer possibilidade de chegar ao título da série, pois a seguir aos Patriots terão de defrontar Seattle, fora de casa.

"Nós vamos medir [a nossa qualidade] contra as duas melhores [equipas] do momento," acrescentou Ryan. "Nós vamos descobrir tudo a nosso respeito. Depois de um jogo como [a derrota em Miami], onde claramente nunca jogámos ou treinámos como precisamos, o teste derradeiro está diante de nós."

Em contraste, Bill Belichick, treinador dos Patriots, limitou-se a dizer que "todos os jogos são importantes para nós. É o jogo que se segue por isso não negaria que é importante," mas não decisivo pois "jogamos 16 jogos. Todos são importantes. Este é o que se segue, por isso é importante por ser o próximo [jogo]."

OS INCIDENTES QUE ANTECEDERAM O JOGO ANTERIOR

Antes do início do jogo anterior entre as duas equipas, durante a fase de aquecimento, o quarterback Jacoby Brissett, titular naquele jogo, foi empurrado por Robert Blanton, safety de Buffalo. Malcolm Mitchell saiu em sua defesa, provocando a intervenção dos defensive backs Aaron Williams e Nickell Robey-Coleman. Como a equipa de arbitragem ainda não estava em campo, a única sanção sofrida foram as multas impostas pela liga aos três jogadores de Buffalo --Blanton ($21.000), Nickell Robey-Coleman ($10.000) e Williams (quantia não divulgada).

Os Patriots não gostaram do que consideraram ter sido uma tentativa de intimidação, mas pouco ou nada disseram sobre o assunto, calculando-se que a resposta vai ser dada em campo, no domingo.

e4e386d24f5a4c9c874adb74e3527a5a.jpg

"Ainda nem sequer pensei no aquecimento. Tenho muitas outras coisas em que pensar," começou por dizer Tom Brady.

Quando os jornalistas de Buffalo insistiram no tema, Brady tornou a não aprofundar a questão.

"Sabe uma coisa, eu não estava aqui, e eu sinceramente nunca briguei com ninguém. Eu vi na TV como todas as outras [pessoas], mas quando regressei [da suspensão] passei apenas a pensar [no jogo] em Cleveland," respondeu Brady. "A nossa equipa sempre demonstrou muito respeito pelos adversários. Não me parece que a nossa equipa tenha sido construída de forma a tentar incitar qualquer coisa."

"Penso que somos uma equipa que faz um bom trabalho em virar a página. O que aconteceu no último jogo não importa. Tudo o que importa é ir para o campo e jogar bem e tentar conseguir uma vitória," acrescentou o safety Devin McCourty. "A disciplina é algo de que sempre falamos. É assim que tu crias jogadas vencedoras no football e não te lesionas. Tentamos ter orgulho em ser uma equipa de *football *disciplinada e isso decerto vai surgir no domingo, conforme acontece todas as semanas."

"Isso foi naquele jogo. Não tem nada a ver com este jogo," acrescentou Matthew Slater, um dos capitães da defesa.

"Nós temos sempre que ser capazes de manter a compostura em campo. O football é um jogo de grandes emoções, como já mencionámos várias vezes, mas tu tens que ser capaz de controlar essas emoções. Em última análise, a única coisa que importa é como é que tu jogas entre as [linhas] brancas. Da última vez eles vieram cá e jogaram melhor, independentemente do que se passou antes do jogo. Ganharam-nos, por isso espero que, conforme eu disse, possamos fazer o suficiente para impedir que isso aconteça novamente."

"Eu penso que o que precisamos fazer esta semana é ir até lá e fazer um bom jogo de football em todas as três fases do jogo. É nisso que estamos focados," concluiu Bill Belichick.

Rex Ryan ainda tentou colocar água na fervura, dizendo ao seu estilo, que "trata-se apenas de jogar* football*. Se alguém quiser mostrar que é duro, [deve] colocar as luvas de boxe e entrar no ringue ou algo do género. Isso talvez seja mais impressionante. [Mas] no entanto eu não quero [fazer isso contra] o [Rob Gronkowski] Gronk. Mas definitivamente não quero ver isso acontecer e estamos 100% focados no jogo e em fazer o melhor possível."

AS PREOCUPAÇÕES DOS PATRIOTS

Para evitar que pela primeira vez desde 2002 não consigam nenhuma vitória num clássico divisional, os Patriots sabem que terão de jogar muito melhor e evitar alguns dos problemas que contribuíram para a derrota a 2 de Outubro.

No topo da lista desses problemas estão os fumbles, pois os Patriots, normalmente das equipas mais seguras na posse da bola, já cometeram 14, o mesmo número de toda a temporada de 2015. Só contra Buffalo foram cinco, embora apenas um tenha sido capturado pela equipa adversária.

497018bc8643419e97642e9620b9ddbb.jpg

Josh McDaniels, coordenador ofensivo dos Patriots, reconheceu que existe um problema nessa área e abordou a questão na conferência de imprensa de terça-feira.

"Não há nenhuma dúvida que os nossos jogadores e os nossos treinadores estão a dar destaque a isso," respondeu McDaniels quando a questão foi levantada durante a primeira conferência de imprensa desta semana. "Sabemos que não há nada que seja mais determinante do sucesso do que tomar conta da bola no ataque, sem dúvida."

"Todos nós compreendemos como isso é crítico e importante para a nossa capacidade de poder ganhar todas as semanas. Há uma série de coisas, um número de períodos diferentes nos treinos que reservámos para isso," acrescentou McDaniels, que de seguida garantiu que todos os seus jogadores estão a trabalhar imenso pois é preciso "ter a certeza que cobrimos a bola, a protegemos com os dois braços, com a nossa placa de peito, para ter a certeza que ela está segura e não haverá maneira de a poderem retirar."

"Definitivamente, é algo que nós estamos a tentar corrigir; definitivamente, algo em que temos trabalhado imenso. Compreendemos a sua importância e fazemos todos os possíveis para corrigirmos isso, à medida que avançamos na temporada," concluiu Josh McDaniels.

Na semana passada em Pittsburgh, Chris Hogan e Julian Edelman tiveram fumbles em fases cruciais do jogo, Hogan na primeira jogada ofensiva e Edelman na ponta final, numa altura em que os Patriots estavam a tentar proteger a vantagem.

"Ao fim do dia, tu tens que estar preparado para esperar que alguém vai vir das tuas costas tentar retirar a bola," disse Hogan. "Eu tenho que fazer um melhor trabalho a cuidar da bola. Os turnovers são tão importantes. Tivemos sorte que não nos prejudicou no domingo."

Com todo o trabalho que os treinadores têm dedicado a esta área problemática, Danny Amendola não tem a mais pequena dúvida de que "vamos melhorar e manter a posse da bola. Penso que vai melhorar."

Para Josh McDaniels o mais importante "é estarmos focados nas coisas que podemos controlar, que é compreender em que parte do campo estamos e ter a certeza que, se sentirmos contacto, temos a bola protegida."

"Mesmo quando estamos desmarcados, quando pensamos que não vamos sentir contacto, temos que correr com a bola protegida porque há momentos no jogo em que somos atingidos quando não estávamos à espera disso."

Em resumo, tudo o cuidado é pouco.

b4b2cdd4c4244b41adea85072c3879e4.jpg

E a fechar Bill Belichick deixou uma mensagem bem clara.

"Não interessa o aconteceu na semana passada, no mês passado, no ano passado. Nada disso importa. O que importa é o que acontece esta semana, e é isso que nós podemos controlar. Nós não podemos controlar o que aconteceu no passado, então vamos tentar estar focados naquilo que podemos fazer esta semana e preparar-nos o melhor possível, para jogarmos o melhor possível."

This article has been reproduced in a new format and may be missing content or contain faulty links. Please use the Contact Us link in our site footer to report an issue.

Latest News

Advertising